top of page

Entrevista | Etemi Flávia de Osùn fala sobre o lançamento do livro 'Homens de Axé'

A obra conta com participações de sacerdotes do Rio de Janeiro

Foto: Divulgação

10/12/2022 | 00:00


A entrevista de lançamento do site AxéNews é com a coordenadora editorial da Editora Folha de Ouro, Etemi Flávia de Osùn. A sacerdotisa também é coordenadora do tradicional evento "Presente à Yemanjá", que ocorre no mês de fevereiro em Sepetiba.


No último dia 26 de novembro, Etemi Flávia lançou a obra 'Homens de Axé', no Museu do Amanhã, com a participação de diversos sacerdotes que relataram, no livro, histórias de luta, resistência e coragem em suas trajetórias religiosas.


Além dessa publicação, Flávia de Osùn coordenou a produção do livro 'Mulheres de Axé', lançado ano passado, e participou como convidada da obra 'As Guardiãs', que teve a coordenação de Vodúngán Kelly D´Oyá.


AxéNews: A senhora conduziu a produção de dois livros muito importantes para as religiões afro-brasileiras (‘Mulheres de Axé’ e ‘Homens de Axé’). Como surgiu a ideia de coordenar essas obras?


Etemi Flávia de Osùn: Surgiu há uns 7 anos quando eu criei no 'Presente à Yemanjá', em Sepetiba, o CORPO SACERDOTAL. Convidei Sacerdotes e Sacerdotisas para comporem um grupo que pudesse trazer os "PRESENTES" à rainha do mar. Quando vi a minha ideia concretizada, aquele bloco de religiosos a frente da procissão, eu pensei: nossa... quanta história há aqui , Quantas Mulheres e Homens de Axé, quanta resistência e sabedoria contém nesse grande grupo , isso daria um livro.

A ideia ficou guardada até o dia em que a Editora Folha de Ouro entrou em contato comigo e me propôs ser Coordenadora Editorial numa obra com co autorias.

Então eu disse que aceitava porém eu já tinha o tema:


"MULHERES DE AXÉ" A luta e a resistência de sacerdotisas no RJ ( o primeiro ), na sequência " HOMENS DE AXÉ " A luta e a resistência de vinte Sacerdotes no RJ.



AxéNews: O que o leitor pode encontrar nos depoimentos de luta, resistência e fé dos sacerdotes presentes na obra ‘Homens de Axé’?


Etemi Flávia de Osùn: Elas vão encontrar um legado de muita fé, mas sobretudo muito amor ao sagrado . Homens que dedicam a vida inteira à religião, que já sofreram de tudo mas que nada foi capaz de separá-los dos designeos dos Voduns, Orisás e Inkises . Um grande incentivo, histórias que emocionam pela força que estão impressas em cada capítulo.


AxéNews: Reunir tantos nomes importantes no livro não deve ter sido uma tarefa fácil. Quais os cuidados que a senhora teve e quais foram os maiores desafios enquanto preparou o livro?


Etemi Flávia de Osùn: O livro nunca teve a intenção de homenagear " medalhões" , pois seria injusto fazer essa seleção. São muito mais que 20 os Sacerdotes de grande expressão no RJ. Esse livro traz uma referência aos grandes baluartes desde o século passado até Sacerdotes dos dias atuais.


O critério foi colocar alguns com mais de 50 anos de iniciados, outros entre 40 e 30 e alguns de 14 à 21, além de representantes de todas as nações. O que eu queria era realmente mostrar pro leitor todo o processo de um sacerdote que está ainda com seus 20 anos até aquele que já possui 55. Toda transformação social, linguística, cultural etc.

Esse livro poderia ter outros representantes religiosos mas alguns não aceitaram e sinalizaram querer uma obra solo, outros simplesmente não se sentiam confortáveis em ter sua trajetória publicada. Entendo que nesse conjunto da obra, estão as histórias que Olodumare quis que servissem de exemplo para o grande público, justamente pelo conteúdo de cada uma. Estão quem o sagrado quis.


AxéNews: Qual a contribuição que as histórias apresentadas na obra podem ter na formação dos leitores?


Etemi Flávia de Osùn: A maior contribuição é o reconhecimento. Certamente o leitor se reconhecerá em uma ou mais histórias e entenderá que é possível e vale a pena resistir. Que ser Um Homem de Axé o faz diferente dos outros, o faz grande em sua essência. Que ter nascido com uma missão sacerdotal não significa ser rico ou famoso, mas importante para Olodumare aqui na terra.


AxéNews: ‘Homens de Axé’ foi lançado em um dos lugares turísticos mais conhecidos da cidade do Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã, localizado na Zona Portuária da cidade. Como foi a experiência de ter promovido a obra neste local simbólico do município?


Etemi Flávia de Osùn: Ter podido falar de ancestralidade preta, da luta e da resistência desse povo mostrando a sua importância para a construção desse país, o quanto a fé foi fundamental para resistência e o quanto esse legado resiste até hoje, foi em si mais um ato de resistência, uma ocupação de espaço nunca antes vista naquele museu. Homens de Axé com suas vestes sacerdotais de Matriz Africana lançando um livro, no mesmo solo aonde há centenas de anos chegaram acorrentados e escravizados. Mostramos que resistir pelo sagrado africano valeu e sempre valerá a pena.


AxéNews: Seus livros foram lançados pela editora Folha de Ouro, que já publicou outros exemplares importantes como ‘As Guardiões’ e ‘Oloyás’. Como a senhora compreende o mercado editorial conectado com temas religiosos afro-brasileiras nos dias de hoje?


Etemi Flávia de Osùn: A Editora Folha de Ouro possui hoje nesse mercado um papel fundamental, pois ela chama à reflexão a partir dos temas relacionados aos Povos tradicionais e nos oportuniza de forma bastante coerente e acessível a oportunidade de registramos hoje tudo que anteriormente não tínhamos como registrar. A Editora Folha de Ouro está fazendo história recriando um novo momento literário para nós, POVOS DE AXÉ. Muitos deles estão se descobrindo capazes de escrever e a partir até mesmo da experiência de escrever seu capítulo em Mulheres de Axé ou Homens de Axé , muitos resolveram escrever outros livros e até mesmo se matricularam numa faculdade. A Editora com sua proposta para o povo do santo tão deixado de lado, traz à luz o quão é rico, plural e significativo o universo dos povos de Matriz africana..


AxéNews: As capas dos livros coordenados pela senhora têm uma produção editorial muito envolventes e cativantes. A senhora tem participação na escolha do estilo, formato e design do livro?


Etemi Flávia de Osùn: Essa escolha foi da própria Editora com seus profissionais, eu apenas aprovei.


AxéNews: Podemos esperar novos livros?


Etemi Flávia de Osùn: Com certeza. Já estamos na captação dos novos co autores que darão voz ao 3⁰ livro da coleção, que será "Ogans e Ekedjes de Axé". Aguardem!



Confira fotos do lançamento do livro 'Homens de Axé':



Comments


logo1.jpg
  • Instagram

Notícias e conteúdos do Axé

bottom of page