top of page

Presença forte de Oxum na Federação Omo Abebe

Por: Bàbálorixá Eduardo D'Ayrá

11/06/2023 | 21:14


co autor- Nicholas Corrêa do Amaral Faina (Professor e Antropólogo)


Oxum é a mãe de todos, até do babalorixá Eduardo, do ser humano Eduardo e do diretor geral Eduardo. Assim ele exorta durante uma conversa com o sacerdote, perguntando-lhe por que o orixá Oxum está presente em todas as atividades do Omo Abebe, inclusive no logotipo.




Comecemos por este último: a tradução literal do iorubá significa propriamente filho do Abebe, ou filho do leque, que pode ser tanto de Iemanjá quanto de Oxum, como neste caso.


Então, o que significa ser filho de Oxum dentro da federação de Baba Eduardo?

Acredito que sua importância se manifesta e se esconde por trás da longa fila de filhas de Oxum que fizeram e fazem parte da vida de Eduardo. Por outro lado, embora hoje a Federação pertença à comunidade, é em seu fundador que encontramos a importância de certas escolhas para sua continuidade: desde o nome até o logotipo e, principalmente, o jogo de búzios.


Foi justamente do conselho do oráculo Merindinlogun, explica-me Eduardo, que saiu Oxum para abençoar a ideia e o projeto social de Eduardo e, assim, ser representada e lembrada não só religiosamente, mas também culturalmente.


Assim, Oxum, o orixá da fertilidade e da beleza, torna-se a matriarca da federação e será celebrada e lembrada em todos os eventos da federação, inclusive durante o festival de Iemanjá. No entanto, a presença de Oxum se manifesta na vida do Babalorixa Eduardo, não apenas através de Omo Abebe, mas sim durante toda a sua vida.


Eduardo, de fato, é filho carnal de Dona Saraide, iniciada no Candomblé e filha de Oxum. Graças aos profundos ensinamentos da cultura e ancestralidade afro-brasileira, Eduardo também pôde escolher o caminho espiritual do Orixá, iniciando-se no culto com sua Iyalorixa, filha de Oxum. Embora o Orixá de Eduardo seja Xango-Ayra, seu juto é, na verdade, a rainha das águas doces: Oxum.


Abençoado por Oxum, assim continua a vida espiritual e biológica do Ìyàwó Eduardo que, crescendo em culto e vida, consegue receber o cargo do Babalorixa, abrir um terreiro no Rio de Janeiro e iniciar sua primeira iaow: quer adivinhar o orixá do mesmo? Oxum!

Tudo coincidência, você pode pensar...


Então me explique como é possível que a filha biológica de Eduardo, sua avó paterna e até sua Ekedi também sejam de Oxum.


Vida complicada a do Babalorixa Eduardo, cercado de mulheres de Oxum e suas peculiaridades, pelo menos eu não o invejo!


Bom, quando se trata das mulheres importantes na vida do Eduardo, vocês já devem ter entendido, é impossível não falar de Oxum.


Aviso ao Eduardo: quando você for avô, torça para que seja um neto, porque no caso de uma menina... é Oxum!





Bàbálorixá Eduardo D'Ayrá - AxéNews

Bàbálorixá Eduardo D'Ayrá

Bàbálorixá Eduardo D'Ayrá foi iniciado na nação de angola tumba jussara, pela Iyálórixá Danda Luamicide no dia 19 de março no Rio de Janeiro em Nova Iguaçu (Cabuçu), hoje pertencente a nação de Ketu. Sendo o filho mais velho de quatro irmãos, é o unico iniciado no Candomblé. Hoje, Bàbá Eduardo com residência fixa na Suíça, na cidade de Zürich (Zurique), em 2019 teve a iniciativa de criar um projeto cultural chamado Ọmọ àbèbé. [+ informações de Bàbálorixá Eduardo D'Ayrá]



Redes Sociais de Bàbálorixá Eduardo D'Ayrá

Comments


logo1.jpg
  • Instagram

Notícias e conteúdos do Axé

bottom of page