top of page

Obi e Esù - Por que Obi é jogado no chão

Por: Babá Sandro Osàlúfòn

Foto: Getty Images

08/11/2023 | 13:17


"Houve uma época, que Obi era um homem muito pobre.

Um dia, Èṣu o visitou em sua casa e viu como Obi morava em total penúria.


Èṣu se compadeceu do mesmo e lhe disse: Olha Obi, eu vou até Orunmila e vou pergunta-lo como eu posso lhe ajudar. Obi ficou todo contente e disse à Èṣu: Eu vou lhe agradecer pelo resto da vida, você vai ver.



Dito isto, Èṣu saiu. Dois dia depois, voltou com um ebó para Obi executar.

Obi fez o ebó e foi ficando rico com o tempo, mas nunca procurou Èṣu para agradecer.

Um dia, Èṣu foi até a casa de Obi e bateu palma. Obi abriu e foi logo dizendo: olhe aqui eu não quero nada.


O que você quer? Estou ocupado demais atendendo pessoas de grande importância.

Não tenho nada para você, não tenho tempo para atender você mendigo – Obi bateu a porta e entrou.


Èṣu ficou possuído de indignação e foi comunicar o ocorrido para Orunmila.

O que fez Orunmila? Vestiu-se com uma roupa bem suja e rasgada, depois foi até à casa de Obi.

Ao ver aquele homem maltrapilho e sujo na sua porta, Obi disse: Olhe, se você veio pedir esmola, eu não dou esmola. E você, sujo deste jeito e fedorento, como ousa bater em minha porta, sabendo que sou um homem rico?

Obi, em nome de Orunmila, me socorre aqui – disse Orunmila.


Obi respondeu: Orunmila que nada! Orunmila sou eu, que sou rico e não preciso de ninguém!

Então, Orunmila transformou-se em um lindo homem e disse: Não está me reconhecendo, Obi?

Obi arregalou os olhos de susto e se prostrou aos pés de Orunmila, gritando:

Oba mi, Oba mi!!! (meu rei, meu rei)”


Orunmila lhe disse: Por tua ingratidão, arrogância e orgulho, de hoje em diante não haverá sacrifício, nem oferendas aos Irunmole, em que você não seja incluso.

Tu serás partido em quatro partes, rolaras no chão e será colocado na cabeça do homem mais vil na terra.

Sem contar que, quando Èṣu comer, tu terás que fazer parte do banquete dele.


E ainda terás que responder se ele esta satisfeito ou não. Logo você veja, Obi, o orgulho não vale nada, a humildade, sim.


"A kì í fi pàtàkì bé èlùbó? ní bá níshu ló m'bé e èlùbó."


Tradução do proverbio de Ifá:


"Ninguém produz farinha de inhame só por ser importante; somente quem possui inhames pode fazer farinha de inhame."


Interpretação: A importância de uma pessoa não mata a sua fome.


Conhecemos muitas pessoas assim, como Obi, com esse comportamento arrogante, ingrato e soberbo.


Muitas pessoas, quando estão no olho do furacão, cheios de problemas ou sofrimentos, se mascaram de vitimas, pobre coitado, bonzinhos, humildes, carentes.


Mas logo que o momento de dificuldade desaparece, se tornam orgulhosas, pedantes e hostis, se mostram como verdadeiramente são.


Esses tipos, de pessoas, esquecem que quando elas abrem os olhos toda manha, é uma boa chance que Olodumare está lhe dando para fazer algo importante pelo próximo. Quando fazemos algo bom, verdadeiramente, para o próximo, estamos fazendo para nós mesmo.


Porém, a vaidade e orgulho impede de tal ato. “Lembre-se que Èṣu foi bom com Obi e, de uma forma ou outra, Èṣu se alimenta com Obi, até os dias de hoje”. O mais lastimável e irônico, é que essas mesmas pessoas gostam de ostentar as suas roupas, seus luxos e importância, para se apresentar no culto de Òrìsà, e não na verdadeira finalidade de cultuar os Òrìsà. Isso no mínimo é lamentável e triste.


Cada pessoa é capaz de fazer seu próprio caminho para alcançar o seu destino. De agora em diante, reflita mais sobre seus verdadeiros valores, conceitos e ações no seu cotidiano."




Babá Sandro Osàlúfòn - AxéNews

Babá Sandro Osàlúfòn

Sou Babá Sandro Osàlúfòn. Formação: Comissário Marítimo e estudande de Nutrição e Dietética. Iniciado no Candomblé na nação N'Angola por Dona Dulcinéia de Dandalunda ( in memória ), filha de Cláudio de Osossí ( in memória ) vulgo Cláudio veneno, filho de Dona Joana Tulemburá ( in memória ), filha do Sr. Ciriaco ( in memória ), migrei para a nação Ketu ( Axé Osumarê ) para casa do Sr. Marcos de Oyá ( in memória) filho do Sr. Paulo da Pavuna ( in memória) filho de mãe Theodora ( in memória), hoje eu pertenço a nação Efón, sou filho do Sr. Michel de Osossí em São Paulo, filho da mãe Maria de Sangô, Asé Pantanal em Duque de Caxias no Rio de Janeiro.


Redes Sociais de Babá Sandro Osàlúfòn:


Comments


bottom of page