top of page

Mais de 200 lideranças religiosas vão participar da celebração dos 20 anos de fundação do Renafro

O Seminário é realizado desde 2002

Foto: Divulgação

23/11/2023 | 19:03


A Rede Nacional de Religiões Afro-brasileiras e Saúde [Renafro] irá celebrar os seus 20 anos de fundação no Seminário Nacional das Religiões Afro-brasileiras e Saúde, nos dias 24 e 25 de novembro de 2023, das 8h às 17h, em Salvador, com a presença de mais de 200 lideranças religiosas de matriz africana que integram esta que é a mais importante instituição na área.



De acordo com a coordenadora nacional da Renafro e uma de suas fundadoras, Mãe Nilce de Iansã, o trabalho realizado pelos terreiros para a promoção da saúde é de extrema importância, “pois são espaços de práticas integrativas e que devem ser reconhecidas e respeitadas”. Ela destaque que “o racismo religioso é um determinante social para a saúde do povo de axé, e graças ao acolhimento e escuta que os terreiros oferecem, grande parte das vítimas deste crime buscam nestes espaços o amparo que não encontram nos equipamentos de segurança pública”.

A programação do seminário abordará no primeiro dia as Políticas Públicas de Promoção em Saúde, Atenção primária, Política Nacional de Saúde para a População Negra, Saúde como bem estar social e direito constitucional no enfrentamento ao racismo religioso, e Cuidado na perspectiva dos valores civilizatórios de matriz africana. Ao final do dia haverá o painel Práticas Integrativas nas Comunidades Tradicionais de Terreiro e Políticas de Equidade no SUS.

As atividades do segundo diase iniciarão com uma celebração à ancestralidade e homenagem às divindades das águas – Yemanjá e Oxum – com um cortejo realizado pelas mães e pais de santo. Logo após, serão apresentados dois painéis: o Relato Setorial das Mulheres de Axé, Juventude de Terreiro e comunidade LGBTQIP+; e Relato dos Núcleos Regionais a partir de suas experiências e desafios.

Para a Dra. Jurema Werneck, diretora da Anistia Internacional Brasil e uma das fundadoras da Renafro, o trabalho desta rede significa a “continuação dos esforços que atravessam séculos na preservação da nossa saúde e também a reafirmação da potência dessa tradição viva”. “É tempo de celebrar e de honrar a todas e todos que fizeram e fazem essa rede balançar”, afirma Werneck.

Anielle Franco, ministra do Ministério da Igualdade Racial – um dos parceiros estratégicos do Seminário – saúda o trabalho desenvolvido pela Renafro “pelos seus fundamentais 20 anos de história na valorização dos saberes dos terreiros, de promoção da saúde dos povos de matriz africana”. Como maior rede de articulação dessa agenda, a Renafro “tem sido um farol de resistência na luta por direitos e por dignidade. É uma honra para o Ministério da Igualdade Racial contar com a parceria da Renafro”.

Lúcia Xavier, da rede Criola, diz que “nestes 20 anos de luta, a atuação das religiões de matriz africana por meio da Renafro trouxe suas vivências e saberes para o aprimoramento do acolhimento, cura e promoção da saúde, dialogando permanentemente com o sistema de saúde, para a garantia da saúde da população negra.Vida longa à Renafro!”

Por compreender a dimensão histórica e social deste seminário, o Ministério da Saúde consolida a parceria com a Renafro que se estabeleceu por meio de diversos trabalhos conjuntos nas últimas duas décadas.A Renafro preparou ainda uma homenagem póstuma ao seu fundador,Ogã José Marmo da Silva, falecido em 2017, e que deixou um legado para a mobilização pela saúde dos povos de terreiro. O Seminário será encerrado com apresentações culturais representativas das religiões de matriz africana.

O Seminário Nacional das Religiões Afro-brasileiras e Saúde é realizado desde 2002, com o objetivo de reunir os seus protagonistas e fomentar trocas de experiências para o enfrentamento aos problemas que afetam diretamente a saúde dos povos de terreiros em todo o Brasil.

Comments


bottom of page