top of page

As grafias espirituais e sua relação com os pontos riscados de Umbanda

Por: Alex D´Oxalá

28/02/2023 | 16:12


O homem em seu processo evolutivo, através dos tempos desenvolveu inúmeras formas de comunicação.


A descoberta e o domínio do fogo, permitindo a difusão de calor para o interior das cavernas,afugentaram animais, iluminando, proporcionaram conforto em um ambiente perigoso e inabitável despertando no homem seu lado contemplativo.




A fuligem resultante da queima do atrito de rochas contra galhos secos em contato com as paredes do interior das cavernas, associada a diminuição da resistência das rochas favoreceram as primeiras inscrições rupestres que inicialmente eram formas de registrar seu cotidiano, passando a ferramenta de comunicação e posteriormente comunicação com outros planos, face a inscrições descobertas que hoje revelam visões de nossa vida atual.


Três mil anos antes de Cristo observamos a evolução das formas de comunicação do homem através dos HIERÓGLIFOS.


A palavra HIERÓGLIFOS  significa Código sagrado. O simbolismo desses códigos traziam muitos segredos desvendados na época apenas pelos sacerdotes e intelectuais (conhecidos como escribas). Os hieróglifos foram registrados em pirâmides e catacumbas, porém com o desaparecimento dos escribas, as chaves para que pudéssemos acessar esses segredos ficariam perdidas.


Outras culturas em outros povos também desenvolveram grafias como forma de comunicação com suas divindades. O intercâmbio de informações entre esses povos era muito difícil, mas a espiritualidade ali também se manifestava em grafias e símbolos.


Os SIGNOS DE IFÁ são riscos feitos em uma tábua sagrada com areia chamada OPON, a partir de um instrumento conhecido como OPELE IFÁ, traduzido em códigos de padrão de binario. Os odus.


O odu é a resposta do oráculo de ifá indicando a mensagem das divindades ancestrais africanas, apontando caminhos, aconselhando e prevendo o futuro.


O budismo e o hinduísmo também trazem em sua ritualística as escritas sagradas através das mandalas. A palavra MANDALA significa círculo. Esse círculo mágico concentra em seu interior formas geométricas e coloridas traduzindo e revelando a chave que possibilitaria o estado meditativo, a busca pelo Eu interior, pelo equilíbrio e pela cura espiritual. A MANDALA representa o portal que converterá a energia concentrada em seu interior na expansão da nossa alma através da mudança do nosso estado mental e do nosso padrão vibracional.


Na era medieval , os magos usavam de uma comunicação inter - dimensional entre os planos invocando ANJOS E DEMONIOS. Os SIGILOS são SELOS ou SIMBOLOS MÁGICOS que traduzem através de suas grafias os nomes dos espiritos que os magos buscavam comunicação. Esses simbolos depois passaram a representar chaves de proteção e amuletos que seriam vistos principalmente em medalhas ou aneis desses grandes mestres.


Todas as referências anteriores traduzem a importância do ponto riscado pois conseguem unir as virtudes e magia citadas em cada um dos exemplos acima.


Como nas inscrições rupestres contando  história de um povo através de símbolos gravados na nossa memória ancestral, revelando da onde viemos e também prevendo  para onde vamos.


Como nos hieróglifos representam letras e códigos sagrados que guardam em sua essência segredos que hoje são revelados por nossos guias e mentores. São as chaves do segredo para o contato com o sagrado.




Como nas mandalas concentram força capaz de equilibrar e resignificar toda a essência do encontro do nosso micro cosmo com o universo. A MANDALA como o ponto riscado são em forma circular representando ao mesmo tempo a célula (eu) e o universo (nós). Quase sempre riscada numa tábua quadrada representa a união dos elementos da natureza em harmonia. O centro é a soma dessas energias concentradas, produzindo o quinto elemento. O elemento mágico que buscamos através do contato espiritual .


Como nos sigilos traduzem através da grafia os nomes místicos de espiritos que pretendemos invocar.

Os pontos riscados em sua maioria , trazem a falange e a linha a que esse espirito está vinculado,  a energia elemental primordial que sintoniza e simbolos outros que traduzem a particularidade de suas formas de trabalho.


Infelizmente alguns religiosos banalizaram esse contato, inclusive acreditando traduzir em livros e apostilas toda a complexidade desse simbolismo, porém o ponto riscado, como uma assinatura são pessoais e intransferíveis. É a impressão digital gravada a partir da união harmônica de elementos traduzindo uma mensagem ao plano espiritual que retornará ao nosso plano como forma de conexão, indispensável a realização dos trabalhos.


Essa história não permite cópias. Só nos permite fotografar com os olhos físicos e armazenar em nossa memória espiritual.


O ponto riscado é fundamento de Umbanda.




Alex d’Oxalá

Sacerdote da Fraternidade Umbandista Aldeia Caboclo Pena Branca

Coordenador do Movimento Umbanda Rio

Fundador da Escola de Médiuns

Omorişa Oxalufan

Filho de Paulo d’Ogun

Ilê Aşé Oluwa Min Ogum

Descendente do Asè Osumare


Redes Sociais de Alex d´Oxalá:

Commentaires


logo1.jpg
  • Instagram

Notícias e conteúdos do Axé

bottom of page